sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Dia 2

Hoje almoçámos num japonês, a Jô e eu. Novidade! A minha filha abre-se a novos sabores, eu aproveito a companhia.
Pensar que quando o pesadelo começou ela tinha 5 anos e hoje, aos 12, estamos a duas a almoçar sushi e sashimi, leva-me a dar graças, muitas graças pelos maravilhosos anos que temos tido juntas.


Logo que a Joana nasceu eu percebi que deveria ter começado a ter filhos muitos anos antes. Não aconteceu... Mas felizmente, ainda tive a oportunidade de viver este papel, certamente o maior, o melhor, o mais gratificante de toda a minha vida.
Grande companheira! Feliz, corajosa, amiga do seu amigo, refilona com a mãe, emotiva, carinhosa, inteligente... um sem fim de coisas boas que têm feito de mim uma mãe muito orgulhosa e uma pessoa muito melhor.
T.

2 comentários:

Maria João disse...

Ela é porque tu és.

Maria João disse...

Uma menina exemplar e não é por ser minha sobrinha, é mesmo por ser tua filha, têm sido maravilhosas as duas e é lindo ver mais que a vossa cumplicidade, a vossa amizade e amor, sempre presente